Desarborização de 3.383 hectares para construção do novo aeroporto

O Ministério do Ambiente deu parecer “favorável condicionado” ao plano director para o novo aeroporto de Lisboa. Os impactos negativos – especialmente sentidos no solo, água e biodiversidade – terão de ser travados por medidas de minimização e compensação.

Os impactos negativos listados pela DIA incluem efeitos nos solos, principalmente na fase de construção e nas florestas, devido à desarborização de toda a área de implantação do projecto, ou seja, 3.383 hectares. Isto “irá alterar completamente o uso actual do solo”, com impactes “moderados e de significância elevada” no caso do montado de sobro. Na verdade, esta é uma questão que preocupa a Autoridade Florestal Nacional, uma das entidades consultadas na DIA, notando que vão ser abatidos 1100 hectares de sobreiros e azinheiras.

Notícia completa aqui.

Notícia retirada de: http://publico.pt/

About antiarboricida

Grupo de Voluntários do Núcleo do Porto da Quercus
This entry was posted in Média and tagged , , , , , , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s